fbpx
Menu fechado

Blog

Por que projetos de arquitetura que não utilizam novas tecnologias estão perdendo espaço no mercado?

Sustentabilidade, acessibilidade e conforto sempre estiveram presentes na evolução dos espaços de habitação humana.
Mas dentre todas as evoluções, podemos citar a introdução da eletricidade como o meio transformador mais revolucionário dos ambientes internos nos últimos dois séculos.
Agora estamos atravessando uma nova mudança de padrão que visa a continuidade da revolução elétrica, a conexão desses aparelhos elétricos: a chamada Internet das Coisas ou IOT (do termo em inglês Internet of Things).
A comunicação e integração entre aparelhos elétricos por meio de redes sem fio já começou a ocupar o seu espaço, antes indicado apenas em um cenário futurístico, agora com todos os seus benefícios ao alcance da mão, usando os celulares, ou da voz, dependendo do sistema utilizado.
Agora imagine que seu projeto arquitetônico não considere as infinitas possibilidades de expansão das funcionalidade dos ambientes? O que ele estaria deixando de melhorar sem essas tecnologias?

Aumento da comodidade e conforto

Quando pensamos em reformas ou mudança para uma nova casa pensamos em ampliação de melhorias de comodidade, facilidades, beleza e conforto.
Projetos mais tradicionais estão deixando de lado a oportunidade de incluir, mesmo que apenas parcialmente, tecnologias que ampliam esses quesitos.
Imagine a apresentação de um projeto cheio de botões em diversas paredes para controle de iluminação em um ambiente. Agora imagine o impacto de simplesmente dizer “preparar para o jantar”, a TV se desligar sozinha, luzes suaves se acenderem sobre a mesa e começar a tocar uma música tranquila de fundo? Isso não te parce um toque de requinte, facilidade e sofisticação?
É isso que muitos projetos estão deixando de lado e perdendo o crescente mercado das novas gerações de consumidores.
Mas não é dó delas que estamos falando.

Acessibilidade total

Mesmo as gerações mais antigas poderão se beneficiar (e muito) de projetos que considerem a introdução de novas tecnologias.
Pense em como determinadas tecnologias podem melhorar a acessibilidade de pessoas idosas ou mesmo de pessoas com dificuldade de locomoção.
Tecnologias de reconhecimento de voz precisam apenas que determinadas frases sejam pronunciadas para a realização de tarefas como fechar as persianas de uma janela quando começa a chover ou controlar a temperatura do ar-condicionado quando ele começa a gelar demais o ambiente.
Essas facilidades reduzem o esforço físico de quem não pode se deslocar com agilidade ou de quem acaso esteja enfermo e com dificuldades de locomoção.
Reflita em como alguns projetos arquitetônicos ignoram a ampliar da acessibilidade com o uso de novas tecnologias.

Sustentabilidade

Pode paracer contraditório, mas não é: utilizar tecnologias de conexão pode reduzir gastos desnecessários com a conta de luz.
Imagine uma casa que utiliza uma grande quantidade lâmpadas de diferentes tipos de potências e para várias finalidades.
Agora pensa que todas elas podem ser programadas para serem desligadas ou acessas por meio de cenários pré-estabelecidos ou com o uso de sensores.
Na automação residencial, o quesito economia também conta, e muito, pois é possível economizar criando cenários pré-configurados e utilizar apenas os equipamento que você precisa naquele momento e em áreas específicas.
Essa ideia de automatizar não só facilita como economiza e, na avaliação de clientes isso é um diferencial a ser considerado em projetos arquitetônicos, o quanto ele é capaz de evitar desperdícios e cosequentemente, economizar, entregando um ambente mais sustentável.

Resposta precisa à necessidades do dono

Muitos projetos estão atentos a padrões mais tradicionais e entregando muita criatividade, mas esquecendo de diferenciais importantes.
A pressa e a falta de informações do perfil do proprietário bem como do que ele deseja podem resultar na ausência de detalhes que respondem a necessidades específicas, que podem ser cruciais para a realização ou não de um projeto.
Essa resposta poderia ser dada com o uso de tecnologias de reconhcimento de voz aliada à criação de cenários específicos entregando, por exemplo, um conjunto de câmeras que podem monitorar toda a residência a distância ou um cenário específico para facilitar o consumo multimídia com a automação de telas de projeção e preparação automática do ambiente para assistir filmes.

Conclusão

Como se pôde perceber em breves exemplos, a ausência de tecnologias de automação pode fazer toda a diferença em um projeto arquitetônico, levando inovações e se adequando às novas gerações de clientes e consumidores ou indo pra gaveta como apenas mais um entre tantos outros.

Gostou? Compartilhe com seus amigos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp